quinta-feira, 21 de março de 2013

Adamantius

Fisiognomia: o nariz aqui se destaca.
Adamantius (em grego: Αδαμάντιος) foi um antigo médico, com o título de Iatrosophista (ιατρικων λόγων σοφιστής ou seja: "professor de medicina"). Pouco se sabe de sua vida pessoal, exceto que ele era judeu de nascimento, e que ele era um dos que fugiram de Alexandria, Egito, no momento da expulsão dos judeus daquela cidade pelo Patriarca Cirilo de Alexandria em 415.

Ele refugiou-se em Constantinopla, onde foi persuadido (ou convidado) a abraçar o cristianismo aparentemente pelo Arcebispo Atticus dessa cidade. Mais tarde retornou a Alexandria.

É autor de um tratado grego sobre fisiognomia (φυσιογνωμονικά; uma ramificação das artes ocultas) em dois livros. Essa obra, que ainda existe, tem a influência (como Adamantius mesmo confessa) de Polemon sobre um trabalho do mesmo assunto.

Esse tratado é dedicado a "Constâncio", supostamente o mesmo que se casou com Placidia (ou seja, Constâncio III), filha de Teodósio, o Grande, e que reinou por sete meses em conjunto com o imperador Honório. Foi publicado pela primeira vez em grego em Paris, França, em 1540. Várias de suas prescrições médicas são preservados por Oribasius e Aécio.

Outra de suas obras, Περί Ανέμων (Lat. De Ventis ), é citado pelo Scholiast de Hesíodo, e um extrato do que é dado por Amidenus Aécio . O texto foi publicado em 1864 por Valentin Rose em anecdota graeca.

Fontes: Dicionário Mágico; Wikipédia.