terça-feira, 4 de abril de 2017

Amityville, a Chacina



Esqueça ao ler este artigo, dos elementos sobrenaturais de diversos filmes inspirados sobre a casa de Amityville. Em 13 de novembro de 1974, a polícia descobriu seis membros da família DeFeo - pai, mãe e quatro de seus cinco filhos - mortos, ao estilo de execução no 112 Ocean Avenue em Amityville, Nova York.

Em 1977, a casa dos DeFeo seria o centro de uma história de casa assombrada que os peritos rotularam como uma farsa.

Depois de um longo julgamento que terminou logo antes do Dia de Ação de Graças, Butch DeFeo foi considerado culpado de matar seu pai, mãe, dois irmãos e duas irmãs. Em 4 de dezembro de 1975, o juiz Thomas Stark disse que os crimes eram "os mais hediondos e abomináveis", e condenou Butch a 25 anos de reclusão. Nenhum outro suspeito foi processado pelo crime.

Oficialmente, Butch DeFeo agiu sozinho no terrível crime. Extraoficialmente, a evidência apontou a uma conspiração.

Herman Race, ex-detetive de polícia da cidade de Nova York, foi contratado por Michael Brigante, avô de Butch, para investigar os assassinatos. Brigante tinha testemunhado no julgamento que ele não achava que seu neto teria agido sozinho nesse crime. Queria que Race, um investigador licenciado e amigo, provasse ou refutasse o caso contra Butch.

Durante uma reunião em 30 de novembro de 2000 com Ric Osuna, autor de “The Night the DeFeos Died”, Butch DeFeo confessou que, juntamente com sua irmã Dawn DeFeo e um de seus amigos, realmente cometeu os assassinatos por desespero. Este fato foi confirmado por uma carta escrita por Butch. Em sua própria caligrafia, escreveu: "... eram assassinatos à sangue frio ... sem fantasmas, sem demônios, apenas três pessoas em que eu era um".

Durante a entrevista de 2000, os detalhes das horas que antecederam os seis assassinatos surgiram. A família DeFeo estava em estado de frenesi durante a noite de 12 de novembro de 1974. O pai, de acordo com Butch, rotineiramente abusava de sua família. Depois que a tranquilidade daquela noite se estabeleceu, ele, sua irmã Dawn de 18 anos e dois começaram a ficar "altos" no porão da casa.

Magoada, revoltada pelo fato de seu pai a ter impedido de se juntar a seu namorado na Flórida e se cansar dos anos de abuso físico, Dawn DeFeo conspirou com seu irmão mais velho para matar seus pais. Butch recusou inicialmente. Depois de uma culminação de drogas, álcool e desespero durante as próximas horas, Butch finalmente acedeu ao pedido horrendo de Dawn. Com seus dois amigos, ele e mais Dawn deixaram a segurança do porão da família e foram para o quarto de seus pais no segundo andar. Era cerca de 1:00 a.m. em 13 de novembro de 1974. Enquanto um amigo esperava vigiando, o outro, com seu Colt Python, seguiu Butch, que se armou com um rifle ponto 35-Marlin.

Os pais foram atacados enquanto estavam deitados na cama. O pai DeFeo, no entanto, conseguiu lutar para tentar contra-atacar seus assassinos. Uma segunda bala o atingiu, matando-o, antes que ele pudesse alcançar seu intento. Louise DeFeo, a mãe, estava deitada na cama, gemendo por socorro, enquanto lentamente sangrava até a morte. Uma segunda bala silenciaria a mulher para sempre.

Embora o plano original exigisse que as crianças menores fossem levadas para a casa dos avós no Brooklyn, Dawn, de acordo com Butch, as matou para eliminar as crianças como testemunhas e ameaças potenciais. Butch afirmou que ele não estava na casa no momento dos assassinatos das crianças, que estava perseguindo um de seus amigos, que tinha fugido da cena, a fim de atraí-lo de volta para ajudar com a limpeza. Mesmo fingindo insanidade no julgamento, Butch DeFeo nunca admitiu ter atirado nas crianças.

Só se pode imaginar o horror nos rostos de Marc e John quando sua irmã mais velha entrou em seu quarto com um rifle. Dawn meneou com um gesto silêncio às crianças. Um indício de que os DeFeos estavam acordados no momento dos assassinatos foi o fato da posição final do corpo de Marc DeFeo. Marc tinha sofrido uma lesão debilitante no futebol e ele era forçado a dormir de costas. O disparo foi feito de cima para baixo na cama. O promotor confirmou esse fato no julgamento do DeFeo.

O quarto ao lado que Dawn entrou foi a de Allison. De pé na entrada, Dawn levantou o rifle e apontou ... Allison levemente levantou a cabeça antes de olhar para a arma. A morte foi instantânea, pois a bala impactou sua bochecha esquerda e saiu pela orelha direita. As feridas desfiguraram a linda garota.

Butch, em seu retorno e enfurecido com o assassinato sem sentido, confrontou Dawn em seu quarto no terceiro andar. Golpeou-a, empurrando contra a cama, e enquanto ela estava inconsciente, colocou o rifle na cabeça da irmã e disparou. A fúria assassina tinha finalmente terminado, mas a limpeza tinha acabado de começar ...

Hoje, Butch DeFeo decidiu mais uma vez culpar o crime inteiro em sua irmã, mesmo que a evidência claramente apoie o envolvimento dele. No entanto, a evidência também apoia as alegações de que mais de uma arma e assassinos estariam envolvidos nos assassinatos DeFeo. Butch, convenientemente esquecido, escreveu uma carta admitindo que ele foi parte de uma conspiração.

Embora várias tentativas tenham sido feitas por Ric Osuna para contatar um dos cúmplices nomeados por Butch DeFeo, não foi possível o contato, pois o próprio tinha entrado em um programa de proteção à testemunha. O outro cúmplice nomeado por Butch DeFeo morreu em 1 de janeiro de 2001. O homem se recusou a ser entrevistado por Osuna, a última chance de esclarecer qualquer especulação sobre seu envolvimento.


Leia mais...