terça-feira, 12 de abril de 2016

O Filme da "Autópsia Alienígena"


"Se o que você está prestes a ver é real, essa é a filmagem mais impressionante da história. Embora permaneçamos céticos, alguns especialistas acreditam que esta é uma filmagem autêntica de uma forma de vida alienígena. Real ou não, preciso avisar-lhe: parece uma autópsia verdadeira. Parte do filme que irá ver na próxima hora é bem pavorosa. Fique conosco enquanto levantamos a questão: autópsia alienígena: fato ou ficção?" — Jonathan Frakes

Definição: O filme da "autópsia alienígena" é um filme preto-e-branco, com imagem granulada, supostamente produzido pelos militares dos Estados Unidos, em 1947, que mostra uma autópsia sendo realizada em um dos três alienígenas resgatados da queda de um OVNI em Roswell, em julho desse mesmo ano.

O que os crentes dizem: O filme mostra a autópsia de um ser extraterrestre.

O que os céticos dizem: O filme da "autópsia alienígena" é uma farsa grosseira; ainda que uma farsa muito bem produzida.

Qualidade das provas existentes: Muito Boa.

Probabilidade de o fenômeno ser paranormal: Nenhuma (que é menos do que Desprezível).

Ao realizarem uma autópsia, os patologistas de verdade seguram suas tesouras com o polegar e o dedo médio. Eles usam o dedo indicador para apoiar as lâminas quando necessário. Patologistas de verdade saberiam disso, atores não. No filme da "autópsia alienígena", os "patologistas", de jaleco e máscara, seguram suas tesouras com o polegar e o dedo indicador, exatamente do jeito que uma "pessoa comum" o faria.

A filmagem da autópsia alienígena foi supostamente feita em 1947 por um cinegrafista com uma câmera portátil sem foco automático, que era o padrão das câmeras da época. Isso sem dúvida explica a imagem ficar meio desfocada de vez em quando, mas também garante certa fluidez às cenas. Se a câmera para de filmar durante uma determinada sequência, ao recomeçar, a cena vista deveria mostrar um intervalo na ação. Há uma cena no filme em que a câmera focaliza em um dos médicos levantando a ponta de um tecido escuro que recobre o olho esquerdo do alien. A ponta da pinça é vista segurando o tecido, até que de repente a cena muda para um close do olho (o corte é notório) e mostra o médico levantando e soltando a membrana. O problema é que o close começa no momento exato em que termina a cena panorâmica. Como o cinegrafista poderia ter conseguido o zoom sem mostrar o progresso da ação? Não poderia, a menos que os atores tenham parado de se mover durante a aproximação da lente e o reajuste do foco — e em seguida recomeçado do mesmo ponto.

Esses são apenas dois dos problemas com o filme da autópsia alienígena (a propósito, onde o corpo estava apoiado?) que deixaram os espectadores em dúvida e que, por fim, confirmaram a farsa elaborada.

O filme da autópsia alienígena foi divulgado pela primeira vez em meados da década de 1990, quando o produtor musical Ray Santilli anunciou tê-lo comprado do cinegrafista que o fizera. Era supostamente um dos rolos remanescentes da extensa filmagem militar sobre a autópsia que o governo dos EUA jamais tomara do cinegrafista.

Santilli participou de diversos vídeos, livros e documentários a respeito do filme. A controvérsia no tocante à sua autenticidade apenas aumentou o interesse nele (assim como a venda dos livros e vídeos, além de garantir uma boa audiência aos programas televisivos).

O filme da autópsia alienígena de Santilli é uma autópsia encenada de um alienígena falso. Especialistas em efeitos especiais fizeram duplicatas quase idênticas do filme e, embora tenham pesquisado profundamente (usando, por exemplo, equipamentos e um telefone antigo), ele é uma farsa.

De forma interessante, a divulgação da natureza fantasiosa do filme não diminuiu o interesse no incidente de Roswell. Na verdade, alguns sérios entusiastas do ocorrido em Roswell acreditam que o filme foi parte de uma campanha maciça do governo dos EUA para desacreditar o fato. Isso é mais do que irônico: muitos dos que insistem em dizer que uma nave alienígena caiu de verdade em Roswell em 1947 e que os corpos dos aliens foram resgatados, acreditam que o governo provavelmente realizou uma autópsia bem semelhante à mostrada na farsa. A natureza complicada dessa teoria de conspiração, porém, acabou por concluir que o governo encenou e divulgou uma autópsia falsa obviamente fajuta, a fim de fazer com que a ideia de uma autópsia verdadeira (a qual, é claro, realmente aconteceu, certo?) fosse tão forçada a ponto de afastar os pesquisadores do caminho da verdade.

O filme, aliado à declaração oficial dos militares sobre o "incidente de Roswell", divulgada em 1997 — dizendo que nada havia acontecido —, resumiu a tentativa do governo de colocar uma pá de cal sobre o problema de Roswell de uma vez por todas.

Recado para o governo dos EUA: se isso é tudo verdade, não funcionou.

Será que o filme da autópsia alienígena mostra como deveria ser uma verdadeira autópsia de um ser extraterrestre? Sim, se você aceitar que o boneco alienígena do filme representa, pelo menos, uma das espécies de extraterrestres; e sim, se você aceitar que a autópsia ocorreu em 1947 e foi realizada por patologistas que não sabiam o que estavam fazendo.

Isso é pedir muito, mas ainda assim existem, hoje em dia, pessoas dispostas a aceitar o filme como verdadeiro.

Ele foi, e ainda é, uma verdadeira máquina de fazer dinheiro, mas isso é só.


Fonte: Os 100 Maiores Mistérios do Mundo - Stephen J. Spugnesi - Difel 2004