domingo, 1 de maio de 2016

Círculos nas Plantações

Colin Andrews num círculo em plantação, Hampshire, Reino Unido (Foto de 1989).
"Acredito que o que tem acontecido nos campos de nosso planeta é uma prova das tentativas de contato e que as esferas e outros fenômenos associados são uma prova ainda maior de que esse contato é transdimensional, e importante o suficiente para cruzar as barreiras entre esses tipos de seres." — Colin Andrews

Definição: Os círculos nas plantações são padrões geométricos formados por cereais amassados, e vão desde círculos simples até desenhos extremamente complexos. Eles aparecem todos os anos ao redor do mundo e muitas vezes em lugares inacessíveis à visitação (humana).

O que os crentes dizem: Os desenhos nas plantações são uma manifestação dos problemas com o planeta Terra, mensagens ou sinais enviados por aliens, comunicados feitos pelos mortos ou por alguma fonte de energia desconhecida que possua inteligência.

O que os céticos dizem: Os desenhos nas plantações ou são falsos ou alguma espécie de fenômeno esquisito e natural (possivelmente relacionado ao clima) que ainda não entendemos. Nenhum dos desenhos é de origem paranormal.

Qualidade das provas existentes: Excelente.

Probabilidade de o fenômeno ser paranormal: Bem Alta.

São sinais? Cicatrizes? Grafite alienígena? Tempo esquisito? Embustes?

Tudo isso junto?

Os círculos nas plantações são um mistério: são padrões circulares que aparecem todos os anos em campos de cereais ao redor do mundo durante a temporada de crescimento. Eles surgem há séculos; existem inúmeros depoimentos históricos de fazendeiros, jornalistas etc., que chegam a datar de antes do século XV, relatando círculos estranhos que apareciam da noite para o dia, sem sinais de interferência humana.

Então, eles são reais?

A resposta é sim, com uma exceção: alguns círculos nas plantações são "reais", isto é, não são feitos por seres humanos.

Colin Andrews é a maior autoridade do mundo no tocante a círculos nas plantações e autor de três best-sellers. Seu último livro é "Crop Circles: Signs of Contact" (do qual fui coautor). Colin estuda o fenômeno desde 1983, quando viu cinco círculos simples num campo próximo a Stonehenge, na Inglaterra.

Ele analisou o enigma dos círculos e identificou as principais teorias a respeito de sua criação. Elas são:

1 - A Teoria de Gaia; 2 - Magnetismo; 3 - Forças de Energia Vital; 4 - Água subterrânea; 5 - Microondas; 6 - Vórtices de plasma e redemoinhos de vento; 7 - Áreas de pouso de OVNIs e ETs; 8 - Mensagens dos mortos; 9 - Satélites governamentais; 10 - Embustes.

Com relação a essas dez teorias, Colin Andrews acredita que 80 por cento de aproximadamente dez mil formações relatadas mundo afora são obra do homem. Os outros 20 por cento são criados por algum dos outros mecanismos.

Em 2000, Colin criou uma enorme controvérsia ao falar de sua tese de 80/20. Ele chegou a essa conclusão analisando as formações na Inglaterra nos anos de 1999 e 2000, de onde determinou que 80 por cento eram falsas, tendo, em seguida, ampliado sua descoberta para todas as manifestações mundiais. Colin, no entanto, defende suas informações e, hoje em dia, muitos especialistas admitem que suas descobertas são provavelmente precisas.

Que características determinam uma formação autêntica?

Há várias; entre elas:

A ausência de rastros nos círculos.

A ausência de sinais de interferência com o solo ou com as plantas em pontos dos círculos onde os impostores teriam de ficar para criar a formação.

As plantas não são danificadas (isso é por demais importante — quando uma formação é feita por impostores, as plantas são destruídas).

As plantas têm uma aparência mais vistosa e a raiz é maior do que o normal.

A simetria dos círculos é uniforme, em geral numa espiral de uma ou duas rotações até chegar às paredes da circunferência.

A formação apresenta anomalias magnéticas e eletrostáticas, e, dentro do círculo, a bússola enlouquece.

As plantas sofrem transformações em nível celular.

Pequenas quantidades de um material magnético desconhecido são encontradas no solo dos círculos e impregnadas na superfície da planta.

Um perfil magnético como o registrado por um magnetômetro imita o verdadeiro desenho do círculo.

O perfil do campo eletrostático encontrado no círculo mostra um padrão incomum.

Os caules das plantas apresentam um espessamento dos nós não condizente com padrões de crescimento normais.

Há claras evidências de que o fenômeno é genuíno. Mas o que o surgimento anual mundo afora desses padrões significa — para a humanidade e para o futuro do planeta?

Um grupo de especialistas, inclusive Colin Andrews, acredita que há uma inteligência por trás dos verdadeiros desenhos nas plantações. Nesse contexto, "inteligência" não significa necessariamente "entidade". O sistema imunológico humano identifica ameaças ao organismo, marcha em sua defesa e ataca e destrói o invasor. E faz isso de modo inteligente. Talvez um processo similar ocorra com o fenômeno dos círculos nas plantações. Hoje em dia, a maioria das autoridades acredita que esse mistério pode ser explicado como uma combinação entre a Teoria de Gaia e o magnetismo.

Círculos em plantação, Chilbolton, Hampshire, Reino Unido, 2003


A Teoria de Gaia afirma que a Terra e todos os seus componentes biológicos consistem num enorme organismo vivo, e que, como qualquer ser vivo, pode responder, e responde, a danos, ataques e ameaças. Os círculos nas plantações talvez estejam relacionados a uma resposta autônoma, um sinal de que a Terra está se comunicando através de energias naturais, em especial o magnetismo, e talvez de algum "irmão" desconhecido do magnetismo ainda por definir. Muitos dos que têm estudado a localização dos círculos autênticos percebem o alinhamento entre as formações e os locais sagrados ou áreas de influência paranormal ao redor do mundo.

E quanto às teorias de que os círculos nas plantações são áreas de pouso de OVNIs, mensagens alienígenas ou um comunicado dos mortos?

Existem provas documentadas acerca de misteriosas bolas de luz (BOL) aparecendo sobre campos, antes, durante e depois do surgimento de círculos na plantação. A ideia corrente entre os especialistas, porém, é de que elas não são de natureza extraterrestre, mas algum componente do processo de materialização do desenho.

Experiências com comunicação póstuma via padrões geométricos encontrados nos desenhos têm proporcionado alguns resultados atraentes, inclusive a repetição das iniciais de certos pesquisadores paranormais mortos, mas, até agora, nada conclusivo.

Os círculos nas plantações são reais e temos agora provas da ocorrência de atividade paranormal mesmo em padrões falsificados. Muitos pesquisadores acreditam que os falsificadores podem estar desempenhando um papel no que Colin Andrews descreve como "experimento consciente". Os impostores veem bolas de luz acima de seus padrões falsificados e muitos não conseguem explicar por que fazem o que fazem. Alguns disseram ter sido "chamados" a fazer os desenhos. Outros viram seus padrões falsificados serem misteriosa e inexplicavelmente ampliados sem sua participação após terem deixado os campos.

Sem dúvida, o fenômeno dos círculos nas plantações nos passa uma mensagem. Estamos caminhando a passos largos rumo à compreensão dessa comunicação subjetiva, mas até agora temos tido problemas com a tradução.


Fonte: Os 100 Maiores Mistérios do Mundo - Stephen J. Spugnesi - Difel 2004
Postar um comentário