domingo, 27 de março de 2016

O Hotel do Suicídio


Uma pessoa pode "se ligar" a eventos passados? Sim, de acordo com a médium Joan Grant, que foi convencida por uma experiência em 1929. Joan Marshall Grant Kelsey (Londres, 12/04/1907 – 03/02/1989) foi uma médium e escritora.

Viajando com seu marido pela Europa, ela passou a noite em um quarto de hotel em Bruxelas. Por algum motivo inexplicável, o quarto deixou-a inquieta, mas como não havia outras acomodações disponíveis resolveu ficar. Seu marido achou seus temores improcedentes e saiu para dar um passeio sozinho.

Joan Grant decidiu tomar um banho para tentar acalmar os nervos, mas, quando viu que de nada adiantara, resolveu ler um pouco e depois ir para a cama. Foi aí que ela teve um choque.

Enquanto estava deitada na cama, teve uma assustadora visão: um jovem pareceu sair correndo do banheiro e atirar-se pela janela. Ela esperou ouvir o baque surdo de seu corpo atingindo o chão, mas não ouviu nada. A perplexa médium tentou fazer uma oração, mas, algum tempo depois, teve a mesma visão outra vez.

Foi então que concluiu que aquela sensação desagradável no quarto tinha algo a ver com um evento do passado. Uma vítima de suicídio, pensou ela, alugara aquele mesmo quarto, e agora estava comunicando sua aflição à médium. Julgou que podia libertar o quarto do espírito do suicida, ou de qualquer coisa que estivesse perturbando aquele aposento, aprofundando-se no assunto. Seu maior receio, no entanto, era que poderia envolver-se tão completamente com o suicida que acabaria por saltar da janela também. Assumindo o risco, Joan Grant foi até a janela e disse:

- Seu medo já se apoderou de mim, e agora você está livre.

Ela repetiu essa mensagem várias vezes, antes de sentir que o quarto ficara, de repente, mais claro. Quando seu marido voltou, no início da noite, ela estava aborrecida:

- Seu monstro! - esbravejou ela. - Como pôde sair assim e deixar, deliberadamente, sua mulher envolver-se com um caso de suicídio? Não foi graças a você que deixei de pular pela janela e quebrar o pescoço.

- Qual é o problema? - perguntou o marido. - O que foi que aconteceu?

- Este quarto estava assombrado. Eu lhe disse que havia alguma coisa de errada aqui. Um homem ficou o tempo todo correndo do banheiro para a janela e pulando lá para baixo. Eu tive de me envolver para libertar o espírito dele e quase acabei pulando janela abaixo.

No dia seguinte, o sr. Grant verificou a história com o gerente do hotel, e foi informado de que, realmente, ocorrera um suicídio naquele mesmo quarto, cinco dias antes, e que o ocupante saltara pela janela.


Fonte: Livro «O Livro dos Fenômenos Estranhos» de Charles Berlitz
Postar um comentário