sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Jack da Lanterna era Nabo


O costume de se usar abóboras no Dia das Bruxas, surgiu com os imigrantes irlandeses, que chegavam em grande quantidade nos Estados Unidos nos idos do século XIX. Usavam nabos em sua terra natal e se deram mal na terrinha do Tio Sam: os nabos eram raros! Que fazer? .... Esse povo de origem celta os substituiu por abóboras ...

Dizia a lenda que um homem chamado Jack, após a morte, foi proibido de entrar no paraíso porque enquanto esteve na terra foi pão-duro. Já as portas do inferno foram fechadas porque fez o diabo de bobo, escavando, no interior do tronco de uma árvore, uma cruz. O demônio ficou aprisionado lá dentro até jurar que nunca mais iria provocá-lo com tentações.

Sem ter para onde ir Jack foi condenado a andar na escuridão até o juízo final. Então, ele implorou a Satã que acendesse brasas para iluminar seu caminho. O diabo deu-lhe um pequeno pedaço de carvão incandescente. Para proteger a luz, o irlandês colocou o carvão dentro do buraco de um nabo. Surgiu assim o jack o’lantern (Jack da Lanterna) como é conhecida a lenda.

A ideia de usar um nabo surgiu com os Celtas, povo que se espalhou pela Europa entre 2.000 e 100 a.C. Um dos símbolos do seu folclore era um grande nabo com uma vela espetada.

Quando os irlandeses chegaram aos Estados Unidos, encontraram pouquíssimos nabos nos campos. Mas havia abóboras em abundância. Os imigrantes fizeram a substituição. Cultura (in)útil é com o Gato Peleque talvez celta (peleque = vira-lata). Um boa noite para vocês!


Fontes: Superinteressante; Wikipédia.
Postar um comentário