quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

A Dama Podre


Mary Ann Cotton (Mary Ann Robson, outubro de 1832, Low Moorsley, Condado de Durham – 24 de março de 1873) foi uma mãe que assassinou até 20 pessoas, inclusive 12 filhos, por envenenamento por arsênico.

Mary Ann nasceu no que hoje é a cidade de Sunderland. Seu pai Michael, um mineiro, foi um religioso fervoroso e um disciplinador feroz. Quando tinha oito anos, seus pais se mudaram com a família para a aldeia de Durham County Murton, County Durham, onde ela acabou entrando numa escola nova e encontrou dificuldades para fazer amigos. Logo após a mudança, seu pai caiu em uma mina que estava sendo escavada e morreu em Colliery Murton.

Quando tinha 14 anos, sua mãe casou com Robert Stott, com quem Mary Ann não se dava bem. Na idade de 16 anos, ela se mudou para tornar-se uma enfermeira domiciliar na casa de Edward Potter na aldeia vizinha de South Hetton. Depois de três anos lá, ela voltou para a casa de sua mãe com conhecimentos de costura.

Aos 20 anos de idade, se casou com William Mowbray Cotton, mudou-se para Plymouth e teve cinco filhos. Quatro destas crianças morreram de dores de estômago ou febre gástrica. O casal voltou para o Nordeste, onde ela teve mais três filhos. Todos eles morreram. Mowbray morreu de uma doença intestinal, também, em janeiro de 1865.

Mary Ann casou, e seu segundo marido, George Ward, também morreu de problemas intestinais. Dois de seus filhos restantes, também morreram. Depois uma outra criança também morreu, então, os jornais locais se interessaram pelo caso e a Scotland Yard, a polícia inglesa, designou um investigador para ir a Durham acompanhar o caso.

Uma vizinha bisbilhoteira de Mary Ann logo se prontificou a fazer um comentário. “Faz pouco tempo que a senhora Cotton mora aqui na região, mas, nas duas vezes em que eu a vi comprar arsênico para combater os ratos, dois de seus filhos adoeceram e morreram. Que Deus me perdoe. Ora, deve ser tolice minha, uma mera coincidência. Pobre senhora Cotton!”

Conforme ela andava no norte da Inglaterra, Mary Ann perdeu três maridos, sua mãe, um amante, um amigo e uma dúzia de filhos, todos morreram de problemas no estômago ou intestino. 

Após a exumação, o veneno foi encontrado em todos os corpos e Mary Ann, interrogada, acabou confessando os crimes.

“Matei todos para ganhar o seguro-enterro dado pela coroa. Ganha-se um bom dinheiro desse jeito. Eu sou uma pobre mulher e não tenho como me sustentar”, justificou-se a assassina diante do inspetor da Scotland Yard.

A opinião pública ficou chocada com a frieza de Mary, e logo a apelidou de “Dama Podre”. Em 24 de março de 1873, Mary Ann foi enforcada em County Durham Gaol, tinha 41 anos.


Fontes: Wikipédia; Mary Ann.
Postar um comentário