quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Peter Binsfeld

Atividades diversas das bruxas em Trier - Frontispício de 1592 da obra de Peter Binsfeld,
Tractatus de confessionibus maleficorum et sagarum
Peter Binsfeld (também chamado de Peter Binsfield, lat. Petrus Binsfeldius), foi um demonologista, teólogo e padre jesuíta medieval. Filho de um agricultor e artesão, nasceu na aldeia de Binsfeld na região alemã de Eifel. Viveu em Trier, na Alemanha, e ali morreu, vitimado pela peste bubônica em 1598.

Binsfeld cresceu no meio católico rural da região de Eifel. Considerado por um abade local como um rapaz muito talentoso, ele foi enviado para estudar em Roma. Depois de seus estudos, Binsfeld retornou à sua região e se tornou uma figura importante nas atividades católicas antiprotestantes no final do século XVI. Ele foi eleito bispo de Trier e se tornou um escritor teológico conhecido, alcançando fama como um dos mais importantes caçadores de bruxas de seu tempo.

Escreveu o influente tratado "De confessionibus maleficorum et sagarum" (Das confissões de feiticeiros e bruxas), traduzido em várias línguas (Trier, 1589), em que discutia as confissões de supostas bruxas e argumentava que a tortura não afetava a veracidade destas confissões.

Ele achava que meninas menores de doze anos e meninos menores de quatorze anos não poderiam ser considerados culpados de praticar bruxaria, que devido à precocidade de algumas crianças a lei não deveria ser completamente rigorosa. Este ponto de vista pode ser considerado como moderado, considerando que outros inquisidores tinham condenado à fogueira crianças entre dois e cinco anos de idade.

Ao contrário de outros autores da mesma época, Binsfeld duvidava que as pessoas poderiam assumir a forma de animais e da validade das marcas diabólicas.

Em 1589, comparou cada um dos sete pecados capitais com um demônio: Luxúria: Asmodeus; Gula: Belzebu; Ganância: Mammon; Preguiça: Belphegor; Ira: Satanás/Azazel; Inveja: Leviathan; Orgulho: Lúcifer.

Ele também teorizou que outros demônios poderiam invocar o pecado. Por exemplo, Lilith e sua prole, o incubus e sucubus, invocam a luxúria. O sucubus dorme com os homens, a fim de impregnar a si mesmo, para que possa suportar mais demônios. O incubus dormiria com mulheres para levá-las a pecar.


Fonte: Wikipédia.
Postar um comentário
Si prega di attivare i Javascript! / Please turn on Javascript!

Javaskripta ko calu karem! / Bitte schalten Sie Javascript!

Por favor, active Javascript!

Qing dakai JavaScript! / Qing dakai JavaScript!

Пожалуйста включите JavaScript! / Silakan aktifkan Javascript!Better Stop Adblock