sábado, 7 de maio de 2016

Russell Colvin

Ilustração do suposto assassinato de Russell Colvin.

Quando Russell Colvin desapareceu de Manchester, Vermont, em 1812, sem deixar rastro algum, a suspeita de crime, compreensivelmente, caiu sobre seus cunhados, Jesse e Stephen Boorn, que haviam trabalhado com ele na fazenda do pai dos dois. 

Os irmãos Boorn não faziam segredo de seu desdém para com o marido de sua irmã. Na verdade, eles haviam reclamado que muitas vezes Colvin, um habitué do bordel local, largava do serviço para visitar a famosa casa.

Apesar da suspeita generalizada de que os irmãos Boorn haviam matado Colvin, nada aconteceu no caso até sete anos mais tarde, quando Amos Boorn, um tio dos suspeitos, afirmar que Colvin tinha aparecido ao seu lado durante um sonho. O fantasma confirmou, tal como tinha sido amplamente comentado, que ele havia sido assassinado. Ele não identificou seus algozes, mas disse que seus restos mortais foram colocados em um buraco da antiga adega de um campo de batatas na fazenda dos Boorn.

À luz do sonho, o buraco da adega foi escavado. Nele foram encontrados pedaços de louça quebrada, um botão e um canivete - mas não restos humanos. A esposa de Russell Colvin, Sally Boorn Colvin, irmã dos suspeitos, prontamente identificou os itens - botão e canivete - como pertencentes ao seu marido.

Logo após a escavação da adega, um misterioso incêndio destruiu o celeiro da fazenda Boorn, dando origem a rumores de que o fogo estava de alguma forma relacionado com o crime. Então, alguns dias depois, debaixo do coto de uma árvore queimada nas proximidades, um cão descobriu vários fragmentos de ossos carbonizados que três médicos da região diagnosticaram como sendo humanos, o que levou os os irmãos Boorn a serem acusados pelo assassinado de Colvin.

É preciso lembrar que já haviam passado sete anos e pese a isto, ambos confessaram seu crime quando foram interrogados.

Jesse foi sentenciado à prisão perpétua e Stephen foi condenado à morte na forca.

No entanto, em uma inesperada mudança de eventos, o fantasma não passava de uma mera ilusão, pois Colvin estava vivo, morando em Nova Jersey, e fez um aparecimento público em Manchester para salvar os irmãos Boorn de seu destino.


Fonte: Northwestern University Pritzker School of Law - First Wrongful Conviction.