sábado, 26 de janeiro de 2013

Adivinhação

Quiromancia
Adivinhação é o nome genérico para um enorme conjunto de técnicas mágicas destinadas a prever ou descobrir o futuro ou outros fatos desconhecidos. A adivinhação é praticada desde os tempos mais remotos até o presente imediato. Existe em todas as culturas, e em todos os níveis intelectuais. Assumiu uma grande variedade de formas.

No século XI antes de Cristo (I Samuel 2,8,3), Saul proibiu a adivinhação pela necromancia. Todos os tipos de adivinhos, inclusive os intérpretes de sonhos, feiticeiros, necromantes, foram condenados pelos maiores profetas.

Da mesma forma que a grande doutrina mágica do “acima, como abaixo” é o fundamento da astrologia, a sua conversão, "abaixo, como acima”, é a base de muitas formas de adivinhação.

Estudando os acontecimentos da terra, o feiticeiro ou adivinho pode descobrir as condições do céu. Ele pode, por exemplo, examinar o fígado de um carneiro para determinar se as condições celestes são favoráveis a um particular evento terrestre.

Este e outros altamente ecléticos métodos de predição do futuro estão baseados na assunção de que acontecimentos aparentemente sem importância constituem, na realidade, parte de um grande desenho do universo, e indicam a direção na qual o universo, como um todo, está movendo-se.

Entre os ramos da adivinhação estão:

Amniomancia — Observação do crânio de uma criança ao nascer.

Antropomancia — Consulta dos intestinos e órgãos internos de crianças sacrificadas (o imperador Juliano, o Apóstata, parece ter praticado este método de adivinhação).

Apantomancia — Observação de objetos que aparecem repentinamente.

Armomancia — Observação dos ombros e costas de um animal que foi sacrificado com esse propósito.

Aspidomancia — Adivinhação colocando-se no interior de um círculo mágico e caindo-se num estado de transe provocado pela recitação de fórmulas mágicas.

Belomancia — Adivinhação pela observação da trajetória de flechas.

Bibliomancia — Consulta de uma passagem ou linha de um livro, escolhida ao acaso.

Botanomancia — Adivinhação que queima os pequenos ramos de verbena ou outro vegetal, colocando-se no fogo, inscritas em papel, as perguntas que deverão ser respondidas 

Catoptromancia — Adivinhação por meio de lentes ou de espelhos mágicos. Esta prática esteve em voga na Roma antiga, e é mencionada por Apuleo, o filósofo e novelista romano, bem como por Pausanias, o viajor grego, e por Santo Agostinho.

Causimomancia. — Adivinhação pelo fogo (quando o objeto jogado ao fogo não queimava, o prognóstico era muito propício).

Dafomancia — Observação da maneira pela qual um ramo de louro, jogado ao fogo, queimava.

Empiromancia — Observação de objetos jogados ao fogo sacrificial.

Gastromancia — Adivinhação por meio de ventriloqüismo.

Geloscopia — Adivinhação pela interpretação do riso de uma pessoa.

Hepatoscopia — Observação do fígado de um animal morto.

Hipomancia — Observação do caminhar de um cavalo.

Ictiomancia — Observação das entranhas de um peixe.

Lampadomancia — Adivinhação por meio da chama de uma lâmpada ou vela.

Libanomancia — Observação das volutas da fumaça do incenso.

Mararitomancia — Adivinhação por meio de pérolas.

Oeniática — Observação do vôo dos pássaros.

Ovomancia — Adivinhação por meio de jogar-se ovos ao fogo e observar-se de que forma rebentavam.

Quiromancia — Observação das linhas da mão.

Xilomancia — Observação da posição dos gravetos no chão.

Fonte: Dicionário Mágico.
Postar um comentário