quarta-feira, 6 de abril de 2011

A Mansão Winchester

Vista atual da Mansão Winchester
Atormentada pelos espíritos mortos pelas armas Winchester, mulher construiu uma casa especialmente para confundir os fantasmas. Conheça a história da Mansão Winchester.
Tudo começou em 1862, quando Sarah Pardee casou-se com o empresário William Wirt Winchester, filho do fabricante dos Rifles Winchester. William morreu em 1881, e um temor incontrolável tomou conta de Sarah. Barulhos ocorriam dias e noites seguidamente.
Em uma seção espírita, Sarah receberia uma informação que iria mudar toda a sua vida.
Sarah resolveu procurar ajuda em um centro espírita em Boston/EUA para descobrir o que estava acontecendo. A médium que a atendeu disse que seu marido estava rodeado dos espíritos de pessoas que foram mortas pelos rifles Winchester. Assim, ela deveria construir quartos para que os espíritos de luz permanecessem na casa, proporcionado a paz para que os barulhos cessassem.

Sarah Winchester


Mas nada disso aconteceu, os barulhos continuavam a atormentar Sarah, que resolveu construir a casa até o fim de sua vida; foram mais de 38 anos construindo corredores tortuosos, labirintos de escadas e portas levando a lugar nenhum, que foram projetadas para confundir os fantasmas dos espíritos malignos. Sarah viveu reclusa durante 22 anos e morreu em 1922, aos 85 anos.

Atualmente, a casa abrange quase 2,5 hectares de área paisagística, possui 160 quartos (inicialmente tinha somente oito), 47 lareiras, 13 banheiros, 52 clarabóias e quase 10.000 janelas. Apenas a morte de Sarah, em 1922, interrompeu a construção. Ela gastou quase 5,5 milhões de dólares, e hoje, em valores atuais, é equivalente a 53 milhões de dólares.

O quarto azul seria uma passagem para outra dimensão
O aposento mais misterioso da casa é o quarto azul, onde Sarah conduzia as suas sessões espíritas particulares. Ninguém pôs os pés neste quarto enquanto ela era viva. Alguns creem que o quarto é uma passagem para os visitantes de outra dimensão.

Hoje, ninguém mora na casa, mas ela esta aberta aos turistas que quiserem visitá-la. No entanto, ainda dizem ser comum as aparições de mortos. Algumas pessoas dizem que Sarah Winchester ainda caminha pelos corredores.

Shara Smith trabalha na casa e a primeira vez que ficou sozinha, entrou em um dos quartos fechados: “A porta se fechou atrás de mim e deu para sentir uma enorme pressão lá dentro, parecia que as paredes se aproximavam. Eu quis sair de lá o mais depressa possível”, salientou Shara.

Funcionários da Mansão Winchester dizem já terem vistos fantasmas caminhando pelos corredores.

Dois funcionários que trabalham na casa, Jonh e Jack Sttubert, concordam que o quarto é uma passagem para o outro mundo: “Eu me virei, olhei para o corredor e vi um homem parado lá. Então ele desapareceu e eu desci para ver se havia alguém na casa, mas não havia ninguém lá. Nunca acreditei em espíritos, fantasmas ou qualquer coisa assim, mas agora eu acredito que haja uma coisa nesta casa”, contou Jack.

Existem algumas curiosidades na mansão de Sarah (localizada em San José, Califórnia): Uma escada que acaba no teto; entradas (portas) altas para fantasmas maiores e portas estreitas para fantasmas pequenos; uma escadaria em zigue-zague com sete desvios e 44 degraus onde chega-se ao topo subindo três metros.

Para completar, existe uma porta que se abre para um vão cuja queda corresponderia a dois andares.

A casa é amplamente visitada por turistas de todo o mundo. O assunto ganhou repercussão no Brasil após a veiculação de matéria sobre a Mansão Winchester no programa Fantástico, da Rede Globo, em 24 de junho de 2007.



Fontes: Discovery Channel; Sobrenatural.org.