quinta-feira, 5 de maio de 2016

Percepção Extrassensorial - Debate


"Há muita coisa sobre a consciência humana que não compreendemos plenamente e ainda não podemos explicar em termos de neuro-biologia … muitos aspectos do mundo natural, considerados miraculosos apenas algumas gerações atrás, são agora inteiramente compreendidos pela física e pela química …" — Carl Sagan

Definição: PES, a abreviatura para percepção extrassensorial, é a comunicação ou a percepção por meios que vão além dos sentidos físicos.

O que os crentes dizem: Sem dúvida, os seres humanos têm habilidades que vão além dos sentidos físicos de visão, audição, tato, paladar e olfato. (Recentemente, foi publicado um livro chamado "A sensação de estar sendo observado", um fenômeno que todos imediatamente reconhecem.) Podemos não compreender totalmente o que são essas outras habilidades, ou saber como elas funcionam, mas é óbvio que a plena capacidade dos poderes mentais ainda está por ser entendida de fato. É bem possível que existam regiões do nosso cérebro que servem como repositório de habilidades sensoriais, e que, até agora, só alguns humanos são capazes de utilizar.

O que os céticos dizem: Os seres humanos não têm habilidade alguma além dos sentidos físicos. As pessoas não podem ler a mente umas das outras, predizer o futuro, mover coisas com o pensamento ou receber mensagens dos mortos. Não existe nenhuma prova concreta da existência de poderes psíquicos. As tentativas da ciência em comprovar a existência da percepção extrassensorial foram um fracasso total.

Qualidade das provas existentes: Muito Boa.

Probabilidade de o fenômeno ser autêntico: Bem Alta.

A existência ou não da PES e de todos os "loucos dons" ancilares (pirocinese, telecinesia etc.) ainda não foi definida e é uma das principais questões às quais o homem precisa responder.

Quais são os poderes da mente? O processo do pensamento não é totalmente compreendido; ainda não sabemos de verdade o que é "pensar", nem exatamente como a memória funciona. Se a PES não é real, então o que é a "intuição"? Se não temos sentido algum além dos físicos, como podemos dizer que alguém está nos observando? As pessoas dizem "sentir" quando alguém as observa. Sem dúvida, elas não estão tendo fisicamente essa sensação, portanto como podem "sentir" um olhar? Onde estão os receptores do cérebro que podem sentir quando alguém nos observa? Os receptores para os outros sentidos são óbvios e compreendidos: o olho para a visão, a língua para o paladar, a pele para o tato, o ouvido para a audição, o nariz para o olfato. Esses órgãos são reais e realizam uma função que nos permite interagir com o mundo físico. Ainda assim, as informações captadas apenas pela mente são, em geral, descartadas como mera coincidência.

Metade dos americanos acredita na existência da PES. O fato de muitos já terem experimentado algo que acreditam ser real é uma confirmação incrível. Os depoimentos não provam nada, é claro, e apesar de milhões de indivíduos alegarem terem vivido uma experiência psíquica, a maioria dos casos pode ser descartada como fraude, truque, erro humano, coincidência, autoilusão, credulidade e muitos outros fatores que podem levar uma pessoa a acreditar ter vivido uma experiência paranormal.

Ainda assim, da mesma forma que ocorre com os milhões de relatos sobre a aparição de OVNIs, uma pergunta precisa ser feita: será que todos os relatos sobre experiências psíquicas são falsos? Todos?

Ainda que apenas um por cento dos relatos sobre fenômenos psíquicos seja verdade (e podemos usar a mesma comparação para as aparições de OVNIs), então existe algo que não compreendemos, mas que parece estar calcado na realidade, muito embora em pequena escala se comparado às alegações e aos depoimentos.

Uma pessoa razoável não pode ignorar esses casos, nem descartá-los como falsos de forma precipitada.

A Enciclopédia católica aborda o tema da telepatia. Sua resposta à questão "A telepatia é um fato estabelecido?" é a seguinte:

A literatura sobre este assunto é bem extensa. Após considerarmos as provas cumulativas referentes à existência da telepatia, não há como ignorar a impressão geral de o acaso não poder ser o responsável por todas as coincidências, muito maiores do que se esperaria da proporção acaso/probabilidade … A atual impossibilidade de oferecermos uma explicação científica não é prova de que ela não exista. O inexplicado não pode ser considerado inexplicável, e a natureza estranha e extraordinária de um fato não é justificativa suficiente para atribuir a ele poderes sobrenaturais. [Ênfase acrescentada.]

J. B. Rhine passou anos investigando fenômenos paranormais na Universidade Duke durante a década de 1920 e desenvolveu as cartas Zener — cartões brancos com símbolos (quadrados, círculos, linhas onduladas, triângulos), ainda usados hoje em dia para testar habilidades extrassensoriais.

Rhine legitimou o estudo da parapsicologia e, agora, muitas universidades apresentam programas que exploram as desconhecidas capacidades psíquicas da mente humana.

A PES e outras habilidades psíquicas são esquisitices da experiência humana que não irão desaparecer. Ao que parece, as tentativas de descartar a existência de outras habilidades humanas acabam, por fim, fracassando.

Já se considerou fisicamente impossível um homem conseguir correr um quilômetro e meio em menos de quatro minutos. Agora, após décadas de treinamento, esse recorde é batido com frequência.

Que outras habilidades humanas, ainda consideradas impossíveis, são simplesmente dons latentes que precisam de treinamento e tempo para se desenvolverem por completo?

Essa é uma pergunta justa, e convém à verdadeira ciência tentar responder a ela.

No começo deste livro, admiti que não acredito saber tudo.

Como consequência, devo aceitar que também não acredito saber tudo o que a mente humana é capaz de fazer. 


Fonte: Os 100 Maiores Mistérios do Mundo - Stephen J. Spugnesi - Difel 2004
Postar um comentário