quinta-feira, 5 de maio de 2016

Chuva de Animais e Objetos - Debate

Trombas d'água (waterspouts) podem estar ligadas ao fenômeno. Fotografia: Pete Dooley

"Na quarta-feira anterior à Páscoa, no ano de 1666, um campo de pastoreio com cerca de dois acres em Cranstead, próximo a Wrotham, no condado de Kent — que fica longe do mar e de qualquer braço de água, e é um lugar onde não há nenhum lago de peixes, mas que na verdade apresenta uma escassez de água — ficou coberto de pequenos peixinhos, os quais imagina-se que tenham despencado do céu juntamente com uma enorme tempestade de chuva e trovões que ocorreu na época; os peixes eram mais ou menos do tamanho do dedo mindinho de um homem e, a julgar pelo que todos viram, tratava-se de jovens badejos …" — Dr. Robert Conny

Definição: Essas chuvas anômalas referem-se a quedas repentinas e por vezes prolongadas de animais, gelo e objetos inanimados, algo aparentemente contrário ao funcionamento normal da natureza.

O que os crentes dizem: Essas chuvas estranhas têm origem sobrenatural e deveriam ser consideradas um sinal de algum tipo. A teoria de "ser pego por um redemoinho de vento" não explica como algumas chuvas consistem apenas de uma espécie de animal ou peixe. Essas quedas estranhas são um tipo de mensagem e a ciência tradicional não pode explicá-las.

O que os céticos dizem: Essas chuvas são qualquer coisa, menos algo sobrenatural, e podem ser explicadas cientificamente. A explicação mais provável é a de que os objetos e animais são capturados em meio a terríveis tempestades de vento e depois soltos a uma certa distância do lugar onde estavam.

Qualidade das provas existentes: Excelente.

Probabilidade de o fenômeno ser paranormal: Bem Alta.

No conto de 1989 de Stephen King, "Rainy Season", rãs assassinas e carnívoras, com dentes serrilhados, caem do céu a cada sete anos sobre a pequena cidade de Willow, no Maine, especificamente em 17 de junho. Nesse dia, infelizes e inadvertidos turistas em visita a Willow são avisados pelos moradores locais a não ficarem, mas ignoram o aviso e acabam sendo comidos pelas rãs assassinas. Uma vez recebido o sacrifício, as rãs derretem sob o sol da manhã e os cidadãos de Willow são premiados com mais sete anos de paz.

A história é um suspense divertido e exagerado, mas sua premissa básica — uma chuva esquisita de rãs — é firmemente fundamentada na realidade.

Sim, animais e objetos caem do céu sobre nosso planeta, e há inúmeros relatos que simplesmente não podem ser explicados de forma racional.

O que já caiu do céu? A lista a seguir foi resumida a partir de várias fontes. Muitas dessas chuvas não foram explicadas satisfatoriamente:

Algas; Jacarés; Formigas; Cabeças de martelos; Sacos de biscoitos; Moedas dobradas; Chuva negra; Neve negra; Sangue; Tijolos; Peixes (manjubinha, robalo, savelha, pescado, linguado, peixe-gato e arenque); Macacos; Ovos de mariposa; Mexilhões; Pregos; Porcas e parafusos; Tartarugas; Pica-paus; Minhocas; Chuva amarela; Zinco.

Quantas teorias não foram levantadas numa tentativa de explicar esses relatos de chuvas misteriosas?

Chuva de peixes - Imagem meramente ilustrativa.

Plínio, estudioso e naturalista romano, acreditava que os seres vivos que caíam do céu eram gerados de modo espontâneo pelas chuvas. (Até o século XVII, era comum as pessoas acreditarem em geração espontânea.) Hoje em dia, sabemos o suficiente acerca da teoria celular e da partenogênese para descartar essa explicação.

Fenômenos estranhos ligados ao tempo podem explicar muitas dessas ocorrências bizarras. Redemoinhos de vento, trombas-d'água, tornados, tempestades de vento, furacões etc. são famosos por capturarem coisas do chão, carregá-las por certa distância e depois soltá-las sem cerimônia, às vezes sobre pessoas desavisadas que estão no lugar errado, na hora errada. Já caíram caixões do céu, assim como todo tipo de utensílios domésticos, inclusive ferramentas, roupas e relógios.

Ainda assim, há relatos de chuvas estranhas que não podem ser explicadas por essa teoria dos tornados pegando coisas num lugar e depois as soltando em outro. Por exemplo, em maio de 1981, sapos típicos da África do Norte caíram sobre a Grécia. Será que um tornado ou um redemoinho de vento de alguma espécie pegou os sapos no Egito, na Líbia ou na Argélia, carregou-os através do mar Mediterrâneo e depois os soltou sobre a Grécia? Teria sido essa multidão de criaturas carregada em massa por quase 500 quilômetros de mar aberto?

Além disso, como as teorias de "tempo esquisito" explicam a natureza seletiva dos animais e das coisas que caem? Não é incomum encontrarmos milhares de peixes ou sapos da mesma espécie caindo sobre um local.

E quanto a uma explicação extraterrestre?

Segundo Charles Fort, essas chuvas anômalas eram oriundas de colisões extraterrestres, interestelares (muito embora ele não estivesse falando sério na época). Será que os OVNIs despejam toda sorte de detritos e criaturas ao deixarem nossa atmosfera? Será que os alienígenas coletam milhares de sapos e depois os soltam sem a menor cerimônia onde bem lhes aprouver?

E quanto aos cometas e meteoros?

Talvez estes possam explicar algumas das chuvas de partículas metálicas ou mesmo de gelo, mas, repetindo, existem chuvas por demais bizarras para uma explicação tão simples. Algumas pedras de gelo que caem do céu foram posteriormente definidas como resultado das descargas dos banheiros de aviões. Mas e quanto aos pedaços pontiagudos de gelo de quase dois metros de comprimento que despencam do céu, destruindo telhados e, como aconteceu certa vez, chegando a matar um alemão que estava trabalhando num telhado?

Existem algumas ocorrências estranhas neste nosso planeta, e alguns desses casos parecem retirados … ah, de uma história de Stephen King.


Fonte: Os 100 Maiores Mistérios do Mundo - Stephen J. Spugnesi - Difel 2004