sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Chuva de rãs

Chuva de rãs na Hungria, em junho de 2010
Em maio de 1981, residentes da cidade grega de Naphlion acordaram com uma chuva de rãs verdes. Milhares das pequenas criaturas anfíbias, pesando apenas poucos gramas, caíam do céu e estatelavam-se nas ruas. Cientistas do Instituto Meteorológico de Atenas apressaram-se a dar as explicações usuais. 

Descobriu-se que um redemoinho no norte da África sugara as rãs de um pântano e as transportara por uns 960 quilômetros através do Mediterrâneo, despejando-as nas ruas de Naphlion.

Por incrível que possa parecer, poucas das rãs morreram como resultado da violenta viagem. Na verdade, elas se adaptaram muito bem ao novo ambiente. Alguns dos cidadãos locais, no entanto, disseram que não conseguiram dormir à noite, pois ao coaxar os imigrantes anfíbios faziam muito barulho.

 Chuva de rãs surpreende cidade húngara

Uma chuva de rãs pegou de surpresa nesta segunda-feira os moradores da cidade de Rákóczifalva, a 100 km a leste de Budapeste, informou a imprensa local.

"Quando vi que meu guarda-chuva estava cheio de rãs me assustei muito", disse um morador da aldeia, citado pelo site index.hu, enquanto outros relataram que tinham visto "muitíssimos" destes animais.

"Não gosto destas criaturas e corri em busca de proteção em uma estação de ônibus. Nunca vi algo semelhante", assegurou outra testemunha do fenômeno.

Segundo especialistas, quando são formadas nuvens cumulonimbus, que provocam tempestades, e os ares quentes sobem, pequenas plantas ou animais, como rãs, aranhas ou peixes, podem ser levados para as nuvens, que posteriormente são "descarregados" em forma de chuva.
___________________________________________________________________________
Fontes: Notícias Terra - 21 de junho de 2010; O Livro Dos Fenômenos Estranhos - Charles Berlitz