domingo, 18 de março de 2012

Bacantes e mênades


Na mitologia grega, as Mênades, (de mainomai, ”enfurecido”), também conhecidas como bacantes, tíades ou bassáridas, eram mulheres seguidoras e adoradoras do culto de Dioniso (ou Baco, na mitologia romana). Eram conhecidas como selvagens e endoidecidas, de quem não se conseguia um raciocínio claro.

Durante o culto, dançavam de uma maneira muito livre e lasciva, em total concordância com as forças mais primitivas da natureza.

Os mistérios que envolviam o deus provocavam nelas um estado de êxtase absoluto, entregando-se a desmedida violência, derramamento de sangue, sexo, embriaguez e autoflagelação.

Em geral, as bacantes são representadas com um tirso feito com um caule de ferula (Ferula communis, família Apiaceae) encimado por uma pinha (Pinus spp., família Pinaceae) e coroadas com uma grinalda de hera (Hedera helix, família Araliaceae).

Uma célebre peça de teatro grego tem como título “As Bacantes” e foi escrita por Eurípides (c.480-406 a.C.). Um pequeno trecho desta peça, referente ao coro: “…As bocas sem freio e a loucura sem lei abismam-se no infortúnio. A vida tranquila e a sabedoria conservam-se ao abrigo do desgaste e garantem a sua duração. Por muito longe que os deuses celestes habitem no Éter, eles vêem as obras dos mortais. Sofismas não são sabedoria, como não o é ter os sentimentos de um simples mortal. A vida passa breve. Porquê vivermos o dia presente com demasiadas ambições? São assim os insensatos e os homens de mau conselho…”.

Na obra intitulada "Dionisíacas" são citadas dezoito mênades:

01 - Egle - o esplendor
02 - Calícore - a formosa dança;
03 - Eupétale - as belas pétalas;
04 - Ione - a harpa;
05 - Cálice - a taça;
06 - Bruisa - a florescente;
07 - Silene - a lunar;
08 - Rode - a rosada;
09 - Oquínoe - a mente veloz;
10 - Ereuto - a corada;
11 - Acrete - o vinho sem mistura;
12 - Mete - a embriaguez;
13 - Enante - a foice;
14 - Arpe - a flor do vinho;
15 - Licaste - a espinhosa;
16 - Estesícore - a bailarina;
17 - Prótoe - a corredora;
18 - Trígie - a vindimadora;

Fontes: Etnobiodiversidade.blogspot.com.br; Wikipédia.
Postar um comentário
Si prega di attivare i Javascript! / Please turn on Javascript!

Javaskripta ko calu karem! / Bitte schalten Sie Javascript!

Por favor, active Javascript!

Qing dakai JavaScript! / Qing dakai JavaScript!

Пожалуйста включите JavaScript! / Silakan aktifkan Javascript!Better Stop Adblock