terça-feira, 19 de julho de 2011

Habilidade de levitar

Daniel Dunglas Home (20 de Março de 1833 – 21 de Junho de 1886) foi um espiritualista escocês, famoso durante sua vida pelos seus alegados poderes como médium e por sua relatada habilidade de levitar até várias alturas, esticar-se e manipular fogo e carvões em brasa sem se machucar. Ele conduziu centenas de sessões durante um período de 35 anos – às quais compareceram muitos dos mais conhecidos nomes da Era vitoriana – sem ter sido exposto de forma conclusiva ou pública como uma fraude.

De acordo com Arthur Conan Doyle, Home era raro pelo fato de possuir poderes em quatro tipos diferentes de mediunidade: voz direta (a habilidade de deixar os espíritos falarem de forma audível); psicofonia (a habilidade de deixar os espíritos falarem através de si); clarividência (a habilidade de se ver coisas que estão fora de vista); e mediunidade de efeitos físicos (mover objetos à distância, levitação, etc. — o tipo de mediunidade no qual Home não tinha igual.

Home suspeitava de qualquer médium que alegasse possuir faculdades que ele não possuía (tal como os Irmãos Eddy, que alegavam ter a habilidade de produzir formas sólidas de espíritos), e ele taxava esses médiuns como fraudulentos. Uma vez que os médiuns de materialização sempre trabalhavam em locais escurecidos, Home cobrava que todas as sessões fossem feitas à luz do dia Home, no seu livro de 1877 (Luzes e Sombras do Espiritualismo), detalhou os truques empregados por falsos médiuns.

O próprio Home, naturalmente, foi amplamente suspeito de fraude, mas essa jamais foi comprovada. Frank Podmore e Milbourne Christopher apresentam uma particularmente rica fonte de especulação sobre as maneiras com as quais Home teria iludido seus assistentes. Alguns testemunhos sugerem que Home costumava conduzir suas demonstrações com luz fraca. São discutidas as condições de luz nos mais famosos feitos de levitação de Home, e certas testemunhas dizem que estava bem escuro. Podmore registra que Home tinha um companheiro constante que sentava do lado oposto a ele durante as suas sessões.

Entre 1870 e 1873, William Crookes conduziu experimentos para determinar a validade dos fenômenos produzidos por três médiuns: Florence Cook, Kate Fox e D. D. Home. 

O relatório final de Crookes (1874) concluiu que os fenômenos produzidos pelos três médiuns eram genuínos, um resultado que foi alvo de ironias pelo “establishment” científico. Crookes registrou que ele controlou e segurou Home colocando seus pés em cima dos dele. Esse método de controle com os pés provou ser inadequado quando usado com Eusápia Paladino. Ela simplesmente deslizava seu pé para fora e para dentro de seu resistente sapato.

Alexander von Boutlerow, professor de Química da Universidade de São Petersburgo e cunhado de Home, também obteve resultados positivos em seus testes com Home